O jejum dos filhos

“Disse Jesus: “A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou e concluir a sua obra.” (João‬ ‭4:34‬)

Ultimamente tenho sentido no coração de falar sobre este assunto, o jejum.

Tenho visto muitas pessoas carregarem um fardo que não condiz com a realidade que estamos vivendo na nova aliança.

Vejo pessoas fazendo força para “matar a carne”, fazendo força para “se santificar” e tenho sentido muita compaixão por estas pessoas porque não é assim que os filhos vivem.

Jesus disse: “Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu darei descanso a vocês.” (Mateus‬ ‭11:28‬)

A única coisa que Jesus pede de nós é que deixemos uma identidade que jamais fomos criados para ser para que a gente possa viver a nossa verdadeira identidade conforme o Pai nos criou.

Ele pede que deixemos um coração cheio de ansiedade, preocupação, depressão, angústia, destruição, medo, culpa, vergonha, que é a vida morta da velha criatura, para receber um coração cheio de amor, paz e alegria que é o estilo de vida abundante que nós temos em Cristo como filhos amados.

A questão é que esse “deixar” não é algo que fazemos pela nossa própria força carnal.

Todos nós deixamos algo RUIM porque CREMOS que existe algo MELHOR do outro lado.

Eu, por exemplo, só consegui negar a minha velha identidade quando eu vi em outra pessoa que viver o estilo de vida de Cristo é realmente incrível e abundante.

Eu deveria ter visto inicialmente em Cristo e hoje consigo ver, mas a religiosidade que a gente tem contato é tanta que muita das vezes cega os nossos olhos espirituais.

A religião em geral nos mostra uma mentira de que viver como cristão é uma vida pesada e desgastante, mas eu sempre pergunto a mim mesmo, como pode ser assim se Jesus veio trazer vida abundante?!

“… Eu vim para que tenham vida e vida em abundância.” (João‬ ‭10:10‬)

O que o Espírito Santo me ensinou é que a verdadeira vida abundante que Cristo nos proporciona não depende de nada externo.

Como vimos em outro texto é algo que flui de dentro para fora.

“Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu INTERIOR fluirão rios de água viva”.” (João‬ ‭7:38‬)

Se o meu coração está cheio de Jesus naturalmente eu consigo ter bom ânimo em meio as aflições, naturalmente eu consigo atravessar qualquer tipo de adversidade… até mesmo a morte.

Somos inabaláveis exclusivamente por MEIO da nossa FÉ!!

“Então os discípulos aproximaram-se de Jesus em particular e perguntaram: “Por que não conseguimos expulsá-lo (demônio)?” Ele respondeu: “Porque a que vocês têm é PEQUENA…” (Mateus‬ ‭17:19-20‬)

Aqui está o versículo chave utilizado em geral para falar sobre o jejum.

“Mas esta espécie só sai pela oração e pelo jejum”.” (Mateus‬ ‭17:21‬)

Se você for ler com calma, existe uma observação nesse versículo que diz: “Vários manuscritos não trazem o versículo 21.”

Agora veja…

Jesus está pedindo mais fé aos discípulos, correto?

Se o fato de fazer o jejum traz mais fé então como Jesus poderia exigir dos discípulos mais fé se os discípulos não jejuavam?

“Jesus respondeu: “Podem vocês fazer os convidados do noivo jejuar enquanto o noivo está com eles?” (Lucas‬ ‭5:34‬)

Não tem sentido isso.

A fé vem pelo ouvir a Palavra de Cristo (Rm 10:17) e ela cresce conforme avançamos em relacionamento com o Pai (oração/comunhão com o nosso maior gerador de fé e professor, o Espírito Santo – João 14:26).

Jesus depois continua falando…

“Mas virão dias quando o noivo lhes será tirado; NAQUELES DIAS jejuarão”.” (Lucas‬ ‭5:35‬)

Jesus o tempo todo falava sobre a sua morte e ressurreição. Ele falava de diversas maneiras (que o templo seria destruído e reconstruído, falava sobre o sinal de Jonas…) e essa foi apenas mais uma delas.

“Naqueles dias”, ou seja, naqueles três dias entre a morte e a ressurreição os discípulos jejuariam, quando o noivo lhes seria TIRADO.

Jesus não foi tirado até a Sua segunda vinda, Ele foi tirado somente até a Sua ressurreição.

Estamos vivendo uma nova aliança, onde a presença de Deus HABITA em nós.

Como podemos dizer que Cristo não está conosco hoje?

“… E Eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos”.” (Mateus‬ ‭28:20‬)

O noivo e a noiva convivem até o casamento e o arrebatamento não é o momento de NOS ENCONTRARMOS com o noivo, é o momento de NOS CASARMOS com Ele.

Não é mais uma questão de estar fisicamente. Porque mesmo depois da ressurreição Jesus esteve aqui fisicamente com os discípulos por 40 dias.

“… Jesus apresentou-se a eles e deu-lhes muitas provas indiscutíveis de que estava vivo. Apareceu-lhes por um período de quarenta dias falando-lhes acerca do Reino de Deus.” (Atos‬ ‭1:3‬)

E olha que interessante, Jesus comia com eles.

“Certa ocasião, enquanto comia com eles, deu-lhes esta ordem: “Não saiam de Jerusalém, mas esperem pela promessa de meu Pai, da qual falei a vocês.” (Atos‬ ‭1:4‬)

Esse é o problema… O que acontece de uma maneira geral é que o jejum começa a virar uma forma de fazer “queda de braço” com Deus. Uma forma de se qualificar ou de tentar conquistar as coisas pelo quanto de tempo a pessoa fica sem comer (ou algo do tipo) que só se intensifica, gerando cada vez mais fardo e desânimo aos cristãos.

Não tem sentido algum em um relacionamento de Pai para filho o Pai exigir que o seu filho faça jejum para melhorar o relacionamento entre eles dois. Isso é pura religiosidade.

O Pai quer que a gente viva livremente pela fé no amor dEle crendo que o estilo de vida que Ele nos criou para viver em comunhão com Ele é incrivelmente abundante.

Eu nem lembro a última vez que jejuei, deve ter sido há mais ou menos uns 6 anos atrás, mas eu lembro as inúmeras vezes que não consegui comer por causa de tanta vida que estava fluindo em meu coração.

Lembro de tantos almoços que eu deixava a comida quase toda no prato por não conseguir parar de falar de Jesus.

Lembro dos dias que fiquei praticamente o dia todo sem comer simplesmente porque não lembrei, enquanto estava focado em manifestar o amor do Pai às pessoas.

Isso sem falar de quando fui “arrebatado”… como comer depois de uma experiência daquela?

Esse sim é o jejum dos filhos.

“Enquanto isso, os discípulos insistiam com Ele: “Mestre, come alguma coisa”.” (João‬ ‭4:31‬)

“Disse Jesus: “A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou e concluir a sua obra.” (João‬ ‭4:34‬)

Grave esta frase…

A carne NATURALMENTE é vencida quando nos ocupamos em fazer a BOA, PERFEITA e AGRADÁVEL vontade do Pai.

Isso é poderosíssimo!!

\o/

O jejum de 40 dias que Jesus fez foi para cumprir a Lei, mas hoje todos nós temos liberdade para viver como filhos simplesmente porque é quem o nosso Pai DIZ que nós somos.

“O próprio Espírito TESTEMUNHA ao nosso espírito que somos filhos de Deus.” (Romanos‬ ‭8:16‬)

Não há nenhum ritual que suprirá a voz de Deus para nós!

Nós só precisamos RENDER o nosso CORAÇÃO deixando o nosso orgulho para assumir essa identidade como o nosso estilo de vida.

Se cremos de maneira correta, naturalmente a nossa carne é vencida, NUNCA o contrário.

A religiosidade jamais terá poder sobre a carne!

“Essas regras têm, de fato, aparência de sabedoria, com sua pretensa religiosidade, falsa humildade e SEVERIDADE COM O CORPO, mas não têm VALOR ALGUM para REFREAR os impulsos da carne.” (Colossenses‬ ‭2:23‬)

Isso porque a mudança sempre ocorre de DENTRO para fora.

Não há nenhum sacrifício que chame a atenção do Pai que não o de render o nosso coração a Ele.

“Sem fé é impossível agradar a Deus, pois quem dele se aproxima PRECISA CRER (no coração) que Ele existe e que recompensa aqueles que o buscam.” (Hebreus‬ ‭11:6‬)

Esse é o sacrifício vivo que Paulo escreve em Romanos 12:1, pois um coração rendido nos levará automaticamente a fazer a vontade do Pai (vivendo o estilo de vida de filho) porque é desta maneira que nós permitimos o Espírito Santo operar em nós.

Em Atos 13:2 e Atos 14:23 fala que alguns discípulos jejuavam. No entanto, em nenhuma das cartas existe orientações sobre jejuar. Se fosse algo realmente eficaz certamente teriam dito e vale a pena lembrar que os discípulos também estavam crescendo, o Espírito Santo ainda estava ensinando a todos eles.

Todos nós somos filhos pela fé.

Todos nós nos relacionamos com o Pai pela fé,

Todos nós somos herdeiros pela fé.

E todos nós temos autoridade pela fé.

A fé que nos enche do Espírito Santo que é o PODER que necessitamos para cumprir o nosso propósito aqui nessa terra.

“… Gostaria de saber apenas uma coisa: foi pela prática da Lei que vocês receberam o ESPÍRITO, ou pela fé naquilo que ouviram? Será que vocês são tão insensatos que, tendo começado pelo Espírito, querem agora SE APERFEIÇOAR pelo esforço próprio?” (Gálatas‬ ‭3:1-3‬)

Seja livre!

Você é filho!

Alimente-se de fazer a maravilhosa vontade do Pai que naturalmente a sua carne entrará em jejum!

Aleluia!!!


Fique com Jesus!

 

Não deixe de abençoar a vida dos seus amigos e familiares, clique no ícone da rede social de sua preferência logo acima e compartilhe!  :)

Deixe também o seu comentário logo abaixo…

Comentários